O que é Fisioterapia Manipulativa?

A terapia manual ou manipulativa é uma das especialidades da Fisioterapia utilizada pelo fisioterapeuta na promoção de saúde, com foco na prevenção e no tratamento de disfunções neuromusculoesqueléticas (problemas nos nervos, músculos e articulações).

Fisioterapeutas que trabalham nessa área possuem habilidade de avaliação, diagnóstico e tratamento para tais condições. O dicionário médico Oxford define a terapia manipulativa como “o uso das mãos para produzir um movimento desejado ou um efeito terapêutico em uma parte do corpo, com o intuito de restaurar o normal funcionamento de articulações rígidas”. Assim sendo, o fisioterapeuta manipulativo faz uso apenas das mãos para aplicar técnicas de mobilização e manipulação de tecidos moles e articulações.

O que é mobilização e manipulação articular?

A mobilização articular consiste na movimentação manual da articulação, dentro de uma amplitude de movimento específica, sendo comumente aplicada para tirar a dor. A mobilização de tecidos moles inclui o manejo de músculos, fáscia e cápsula articular, por meio de técnicas como massagem terapêutica, liberação miofascial, terapia trigger points (pontos gatilho), alongamento, etc. A mobilização do tecido neural (Mobilização neural) trata os problemas de compressão e inflamação dos nervos. Por sua vez, a manipulação articular é um movimento rápido e de pequena amplitude o qual produz um click ou estalido, com indicação de restaurar quantidade de movimento normal de uma articulação rígida.

A mobilização ou manipulação constitui um tratamento efetivo?

Havendo indicação da aplicação da técnica, e se realizada corretamente por um profissional experiente, podem ser bem efetiva. Umas das grandes vantagens do fisioterapeuta é que ele, além de tratar a dor, também dispõe de uma vasta gama de outras modalidades (por exemplo, exercícios terapêuticos) para manter e potencializar os efeitos da mobilização e manipulação. Dessa forma, para obter um melhor resultado, o indivíduo provavelmente deverá dar início a um programa de exercícios terapêuticos e reeducação postural para prevenir a recorrência da lesão e o aparecimento de outras.



Ambas a mobilização e manipulação articular possuem indicações específicas de aplicação, e se aplicadas incorretamente, podem causar danos. Jamais devem ser realizadas por alguém que não possua formação profissional para tal. O fisioterapeuta manipulativo está ciente das indicações e contra-indicações das técnicas. Por exemplo, em uma situação em que um nervo está inflamado, o alongamento do músculo é contra-indicado, e com isso a dor nunca melhora. Não é raro ouvir pessoas dizerem não ter obtido êxito no tratamento com a Fisioterapia convencional. A chave do sucesso do tratamento é uma avaliação cuidadosa, para que a terapia não se transforme num problema crônico e sem resolução.

As respostas são para quais tipos de condições?

Tanto para casos agudos ou crônicos. O efeito analgésico (diminuição da dor) da mobilização articular já é visto no primeiro atendimento. Se o problema é devido ao fato do movimento normal da articulação estar restrito, isso pode levar à dor ou compressão de tecidos adjacentes e nervos. Uma vez reduzida a restrição, o movimento livre de dor e a função são restaurados. O fisioterapeuta manipulativo lida com todas as articulações do corpo.

Existe comprovação científica da aplicação de tais técnicas?

Existe hoje vasta evidência científica que comprova a eficácia da terapia manipulativa em várias disfunções, como por exemplo na lombalgia (Licciardone et al. 2003; Childs et al. 2004), síndrome do túnel do carpo (Rozmaryn et al. 1998; Akalinn et al. 2002), osteoartrite dos joelhos (Deyle et al. 2000) e do quadril (MacDonald et al. 2006), etc. Ambas as técnicas só devem ser aplicadas após uma criteriosa avaliação, realizada por meio de testes e protocolos científicos.
A Austrália é atualmente a referência mundial em pesquisa e cursos de pós-graduação em terapia manipulativa. Geoffrey D. Maitland, Brian Mulligan e Freddy Kaltenborn são fisioterapeutas renomados internacionalmente e reconhecidos como pioneiros da terapia manipulativa.



Compartilhar:

Dry Needling (Agulhamento seco) na Dor Cervical

Quando você tem dor cervical, os músculos do pescoço frequentemente se tornam doloridos ao toque. Os nódulos de tensão encontrados entre músculos e tecido conectivo que podem causar dor em uma grande área são chamados trigger points. Tais áreas dolorosas podem limitar atividades diárias e movimentos. Dry needling (ou agulhamento seco) é um tratamento que envolve a aplicação de agulhas de acupuntura na pele com o objetivo de estimular o nódulo. A agulha promove relaxamento das bandas musculares tensas associadas ao nódulo, resultando em diminuição da dor e aumento da amplitude de movimento.



Em uma pesquisa realizada e publicada em 2014 no JOSPT (Jornal de Ortopedia e Fisioterapia Esportiva), um grupo de pesquisadores mensurou os benefícios da técnica em 17 pacientes com dor cervical, divididos em 2 grupos. Todos estavam com dor por um período de 7 dias. Metade recebeu a técnica enquanto o outro grupo não recebeu nenhum tratamento. O grupo submetido a técnica obteve diminuição imediata da dor em 33%. Uma semana após o tratamento, a dor diminuiu ainda mais (redução para 66%). Além disso, os pacientes tratados com a técnica Dry needling foram capazes de movimentar mais o pescoço para frente e para trás, bem como para girar a cabeça para o lado da queixa, quando comparados com o grupo que não recebeu tratamento.

Compartilhar: